Sair com seu animal de estimação faz bem a ele, mas será o bastante? Você sai para trabalhar, fazer compras, ir ao shopping, viajar… E ele dentro de casa, o que pode estar deixando-o bem estressado. Por isto, o lar é mais importante para ele que para você. Além disto, ele vai querer fazer valer ali seus instintos, com condições nem sempre satisfatórias. Porém, mesmo em apartamentos muito pequenos, é possível criar um ambiente que lhes confira adequado bem-estar.

Um dos desafios são as limitações de espaço, artificialidade e perda do contato com outros animais. Apesar dos cuidados habituais de higiene e de saúde, gastam a maior parte de seu tempo praticamente inertes. Para isto, necessitam de equipamentos e espaços específicos dentro do ambiente em que vivem.

Montando a “Decoração-Habitat” – transformando num Playground

Para cada tipo de pet deve-se contar com uma estrutura diferenciada, como:

Cachorro: é um membro da família. Pode ficar confinado em apartamento por longo tempo, mas precisam sair a campo aberto para se alimentar de gramíneas e realizar suas necessidades fisiológicas mais naturalmente. Para eles, é ideal um apartamento com ambientes abertos, permitindo melhor entrada de luz e ventilação. Acessórios e objetos para morder ou entreter são necessários, principalmente na ausência de humanos (quando irão buscar motivos para se ocuparem).

Cães fazem partem da família e se ambientam facilmente ao lar principalmente se adestrados.

Gato: se movimenta tanto no plano vertical quanto no horizontal, devendo janelas e acessos externos estar vedados com tela. Tem mais costume de arranhar que morder, devendo contar com objetos para afiar suas garras. Espaços flexíveis, com móveis retráteis ou dobráveis, aumentam sua área disponível. Colocar prateleiras em diferentes alturas servem de playground, bem como de repouso.

Gatos gostam de se sentirem soltos também nos espaços verticais,

Pássaro: deve existir gaiola ou puleiro que recebam insolação e ventilação naturais, ao menos em parte do dia. A depender do animal, pode-se soltá-lo dentro de cômodos devidamente protegidos. A presença de vegetação interna em vasos e canteiros, torna-lhes o ambiente mais receptivo.

Para outros tipos de animais, como répteis (tartarugas), hamster…, é imprescindível a presença de espaços/gaiolas específicos reproduzindo seu habitat natural. É o caso de peixes ornamentais em seus respectivos aquários.

Condomínio amplia a satisfação dos animais

Hoje, é bastante comum a presença de animais em condomínios, sendo aceitos com regras. Cães e gatos são animais que têm fácil sociabilidade com o homem e seu meio, mas há espécies que podem ser consideradas com reservas ou vetadas, ao menos publicamente.

Alguns condomínios possuem áreas e equipamentos especiais para os pets.  Particularmente os empreendimentos do Grupo Grotta contam com uma estrutura diferenciada em sua área condominial, como pet-place (Residencial Harmonia, com bebedouro e equipamentos para a sua movimentação e descontração). Já no Res. Carmel, a sofisticação chega ao ponto de ter um espaço natural gramado, com desníveis para melhor ambientação à natureza.

Estas áreas, além de ampliar os espaços de socialização dos pets, permite a reprodução do ambiente natural com segurança e higiene. Um bem-estar a seu pet, e uma grande comodidade para seu dono.

Pet-place no Res. Harmonia, do Grupo Grotta, entregue em dez/2017 (foto da época).
Leave Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

clear formSubmit